Cachorro Grande, Far From Alaska e The Outs agitaram a noite carioca no Circo Voador

Dia quatro de setembro o Circo Voador foi marcado por uma apresentação mítica de três grandes bandas do cenário musical brasileiro. Minutos antes dos portões abrirem, o público já se amontoava nas grades de proteção abaixo dos famosos arcos da lapa, se abrigando da fina chuva que caia naquele final de noite. O portão abriu exatamente às 22h e parte do público entrou e foi se familiarizando com o ambiente e o palco. O público, apesar de ser em grande maioria jovens, também era composto de algumas famílias e adultos procurando por boa música. Enquanto o show não começava, tocava uma playlist bem apropriada para a ocasião.

Exatamente às 23:03 a banda The Outs entra no palco fazendo com que o público tome seus lugares na frente do mesmo. O show começa com uma introdução bem psicodélia que quase é estragada por um problema no cabo de uma das guitarras, mas a banda segue com maestria em uma jam até que rapidamente o problema é solucionado, o palco se enche de fumaça e a primeira música começa. O público mostra-se bem à vontade com a banda. O baterista do Cachorro Grande, Gabriel Azambuja, até aparece por ali para apreciar um pouco o som.

Em seguida executam mais uma música que é aplaudida por todos para dar lugar ao novo single da banda “What brings me down” em que a melodia se assemelha muito a músicas dos Beatles. O guitarrista nessa hora troca a guitarra pelo teclado e o toca com perfeição. A casa foi enchendo cada vez mais e os solos de guitarras destruidores e psicodélicos, o combo de vozes perfeito na música “Ainda me lembro”, seguido da marcação forte da bateria na música “Once Before” animam o público que enche a casa de aplausos a cada final de música.

A banda comenta da honra que estão sentindo de tocar nesse dia, tocam uma música mais “baladinha” seguida por uma bem dançante. Com o guitarrista tocando guitarra e teclado ao mesmo tempo, e a banda toda moendo no som, finalizam a última música da apresentação que foi no mesmo estilo psicodélico da banda The Outs de ser. A casa que agora já estava lotada aplaude a banda até que eles saiam do palco.

Meia noite e meia a banda Far From Alaska entra no palco com uma introdução eletrizante que faz o público agitar logo na primeira música. A vocalista dispensa o pedestal do microfone para agitar no palco com o público. Segue a próxima música e tanto a vocalista Emmily como a tecladista Cris mostram muita afeição com o público, cantam e dançam empolgadas. Emmily encerra a música agradecendo a casa e logo começa a próxima música que empolga ainda mais o público e deixa o circo pegando fogo. Começa a música “Politiks” com uma introdução meio country e o dueto de vozes lindo da Emmily e da Cris, encerrado pelo backing vocal robotizado. A Emmily volta a falar com o público e não dá pra deixar de perceber o sotaque nordestino delicioso em sua fala.

O show segue com os duetos de voz em “Rolling Dice” e com um mosh do público na “Communication” que deixou a banda bem animada. Agora foi a vez da tecladista falar com o público e ela apresenta a próxima música: “Gostaria de dedicar essa música aos preconceituosos. Rainbow Party!” O show segue com “Mama”, “About Knives” e “Dino vs Dino” levando o público ao delírio, fazendo-o cantar em coro e dar início a outro mosh. Especialmente na “Dino vs Dino”, música famosa por ser a do recente clipe da banda, o público canta a música toda em coro. No final o refrão fica ecoando durante alguns segundos.

Pra finalizar começa a música “Monochrome” que também finaliza o CD da banda “ModeHuman”. A vocal se diverte com o efeito sonoro robotizado na sua voz. O guitarrista segue fazendo um solo de guitarra alucinante, Emmily e Cris fazem um dueto de vozes magnífico no palco, o público começa o mosh e a música se encerra com o vocal robotizado proferindo WE ARE FAR FROM ALASKA seguido do lindo dueto de vozes das garotas, deixando o público com um gostinho de quero mais.

Faltando quinze minutos para às duas horas da manhã, a banda Cachorro Grande entra no palco tocando o famoso trio de músicas de abertura de seus shows “Você não sabe o que perdeu”/”Hey amigo”/”Que loucura”. O público canta todas em alto e bom som, com muita alegria. Beto Bruno que entra com uma garrafa de vinho agita o público como de sempre, bate seu pandeiro em “Que loucura” enquanto Marcelo Gross e Pedro Pelotas desferem um lindo solo, seguido de “Deixa fuder” onde o baixista Rodolfo Krieger canta com muita empolgação.

Então começa o bloco de músicas do novo CD “Costa do Marfim”. Dando destaque para as iniciais “Nuvens de fumaça”, “Eu não vou mudar” e “Como era bom” que agitaram o público e a banda. Beto Bruno sempre dançando e bebendo sua garrafa de vinho. No final de “Como era bom” Pedro Pelotas mostra a bunda ao público ao famoso estilo Ozzy Osbourne. O show continua com muita animação tanto do público como dos integrantes da banda. O vocalista agradece a animação do público com as novas músicas e brinca dizendo que vai voltar às velhas músicas de banda de bar.

O show segue então com “Bom brasileiro” que diz Beto Bruno ter sido feita no Rio de Janeiro, em determinado momento da música ele senta no palco e brinca com o público cantando e apontando para a galera. Então, pega seu pandeiro e dá início a “Roda gigante” que é finalizada com um uivo da banda e com o vocalista batendo seu pandeiro freneticamente nos pratos da bateria. Ele pede então uma salva de palmas às bandas que tocaram nesta noite e completa “O rock não vai acontecer de novo se não houver nova geração e hoje nós vimos essa nova geração”.

Marcelo puxa a música “Dia perfeito” que anima o público e Beto volta ao palco com sua fiel garrafa na mão e dá início a bela música “Sinceramente” que ele só precisou entrar cantando no refrão, porque o público cantava em coro enquanto ele estava sentado no palco bebendo seu vinho. No segundo refrão o público canta inteiro e Beto aplaude e agradece o público se despedindo.

O show se encerra com uma mistura de “Sexperienced” e algo que parece ser uma música do Sex Pistols. Marcelo deixa sua guitarra ecoando e a banda sai do palco, voltando logo depois para o bis “Helter Skelter” onde a banda sai do palco aos poucos deixando guitarras ecoando, teclado tocando com o banco em cima dele e Gabriel jogando uma das peles furadas da bateria e suas baquetas pra galera, encerrando a noite com todo estilo que só o Cachorro Grande tem.

Set list Cachorro Grande:

1- Você não sabe o que perdeu
2- Hey amigo
3- Que loucura
4- Deixa Fuder
5- Nuvens de Fumaça
6- Eu não vou mudar
7- Como Era Bom
8- Crispian Mills
9- Use o Assento Para Flutuar
10- O Que Vai Ser
11- Lunático
12- Bom Brasileiro
13- Roda Gigante
14- Dia Perfeito
15- Sinceramente
16- Sexperienced
Bis
17-
Helter Skelter

Set list Far From Alaska:

1- Thievery
2- Another Round
3- Deadmen
4- Politiks
5- Rolling Dice
6- Communication
7- Rainbows
8- Mama
9- About Knives
10- Dino Vs Dino
11- Monochrome

 

Autora: Marina Ferreira
Editor chefe: Will Batera
Fotos: Felipe Diniz

Written by 

Matérias Relacionadas

Deixe um comentário