Resenhas Shows 

CPM 22 ligado no 220 em Santos

A diversidade marcou a Festashow Caiçara, realizada no Portuários em Santos. Promovido pelas produtoras Zero13, Rock Show Santos e Moby Santos, o evento contou com os Dj’s Ricardo Menga e Jogado, teve também o Hip Hop do grupo Costa Gold e o Reggae de Armandinho. Estivemos por lá e fizemos a primeira cobertura do ano, tendo como foco o show do CPM 22, que esbanjou Rock de Verdade.

Depois de um ano inteiro tocando o acústico, o primeiro show elétrico do CPM 22 em 2015 foi caloroso, em 09 de Janeiro, no Clube A.A. Portuários (Santos). A banda subiu ao palco com 40 minutos de atraso, show marcado para a meia noite, mas nada que desanimasse a platéia em clima de festa. O primeiro integrante a aparecer por trás das caixas foi Heitor (baixista e ex Charlie Brown Jr.), pouco tempo depois foi a vez de Phil e Luciano (guitarristas), enquanto Badauí (vocalista) se aquecia, o baterista Ricardo Japinha já matava a saudade de sua “Cristalina”.

Foram apenas 20 dias de férias, mas voltaram com a força de quem não tocava a mais tempo e fizeram todos cantarem do começo ao fim. E que começo! “Um minuto para o fim do mundo” abriu a noite e surpreendeu algumas pessoas por ser a primeira música tocada. “Irreversível” tirou todo mundo do chão, “Estranho no espelho” e “Apostas & certezas” foram acompanhadas do famoso ‘Uh, CPM!’ que a Associação Atlética dos Portuários inteira gritou.

Badauí, em nome da banda, agradeceu a todos por estarem ali, numa das cidades onde mais fizeram shows, e elogiou a cena underground de Santos: “A gente sempre teve vocês próximos da gente, porque aqui é a Califórnia brasileira”. Emendou com “Regina, let’s go!“, que fez ficar mais quente do que a noite já estava e a primeira brecha pra roda punk se abriu.

Dias atrás” acalmou os ânimos na pista; em “Não sei viver sem ter você“, o vocalista disse que ‘Mulher é foda!’ e um refrão cantado apenas pela platéia fez Japinha ficar de pé. Pausa e novamente agradecimentos: “Tamo aqui, tamo feliz, tamo vivão!”. Luciano agradeceu os amigos e parceiros da Calango Music.

Em clima de surf, skate e praia, “Vida ou morte” não foi interrompida quando Fernando Badauí – rindo e olhando para Luciano – errou a letra. “Ontem” foi a canção cantada com mais garra e voz, fazendo crer que todos queriam mesmo voltar no tempo pra corrigir seus erros. Heitor, Phil e Luciano deram um show à parte com suas cordas. “Atordoado” fez ressurgir a roda, que havia sido barrada pelos seguranças, e se estendeu até “Desconfio“.

Ao tocarem um cover, alguns fãs discordaram dizendo que CPM tem que tocar CPM. “A alguns KM de lugar nenhum” teve sua vez de enlouquecer a platéia. Já “Perdas” e “Pra sempre” não tiveram chance, mesmo os fãs pedindo para tocá-las, era o elétrico tomando conta do espaço. Músicas de (quase) todos os álbuns fizeram parte do set, mas foi “O mundo dá voltas” que encerrou o primeiro e agitado show da tour de 20 anos da banda que há pouco tempo oficializou Phil (ex Dead Fish) como novo guitarrista.

No fim do show, todos à frente do palco, mais uma vez agradeceram por todo carinho e se despediram, deixando a Baixada Santista pingando suor e pedindo mais.

A noite prosseguiu com o show do Armandinho. Agradecemos todos os organizadores pela confiança, por facilitar nosso registro do evento que marcou o início do ano do nosso Litoral. Parabéns pela baita produção. Vamos vencer!

Autor: Mayra Andres
Editor Chefe: Will Batera
Fotos: Marcela Sanches

Written by 

Matérias Relacionadas