Limp Bizkit traz de volta o nu-metal pra São Paulo

Quinta-feira, 26 de maio, corpus christi, São Paulo. A imensa fila em frente ao Espaço das Américas entoava refrões de nu metal, regado a (muita) cerveja e euforia. Vestia, em sua maior parte, camisa de basquete, moleton adidas e boné pra trás, e anunciava que a Rua Tagipuru havia voltado ao início do século. Limp Bizkit in da house.

Desde sua última passagem pelo Brasil, em 2013,  a banda pouco produziu além de especulações a respeito do lançamento de um sétimo álbum. Nada saiu além de singles.

Mas essa visita de 2016 tem um motivo nobre: comemorar 20 anos de estrada do quinteto, ainda liderado pelo multifacetado Fred Durst. Indício claro de que o set list viria recheado de porradas.

A tarefa de aquecer a galera ficou a cargo dos caras do La Raza, que cumpriram com o combinado sem fazer feio. Com um som bem voltado ao nu metal (também têm um DJ), a banda tocou músicas próprias – entre elas “/Quem”, a música de trabalho – e alguns covers com convidados especiais, como o rapper Xis e Digão, do Raimundos. Ainda vão ler mais sobre o La Raza por aqui.

Logo na sequência e sem atraso, como de costume nos eventos pontuais do Espaço das Américas, o Limp entrou com tudo.

Luzes baixas, clima de tensão, gritos eufóricos e os primeiros acordes de “Boiler”. Bem vindo ao ano 2000. Pensei comigo mesmo que: podiam abrir com uma música um pouco mais…, e eles praticamente emendaram “9 Teen 90 Nine”, calando-me antecipadamente. Todo mundo pulando junto e o Espaço veio a baixo.

Daí pra frente fica complicado narrar o que vivenciei, mas estamos aqui justamente pra isso, né?

Da formação original junto com Durst, John Otto segue absoluto na bateria e Wes Borland – caracterizado todo de branco – com as fábricas de pulo em forma de riffs de guitarra. Nos scratches o DJ Franko Carino substitui Dj Lethal desde 2012, mas como fã e baixista, senti falta de Sam Rivers no baixo, que foi substituído por um cara que eu não sei quem era. Tocando com o baixo mais próximo a cintura (Sam Rivers toca com o instrumento na altura do peito), o cara pulava e agitava bastante – dando pistas de já ter bebido da fonte do punk rock – e não comprometeu.

“Hot Dog”, “Rollin”“The Truth” foram só as três pauladas seguintes. Tocaram a maioria do terceiro álbum, Chocolate Starfish and Hot Dog Flavored Water (7), o resto intercalaram entre os dois discos anteriores e posteriores

O single “Thieves” (cover do Ministry) seguida por “Gold Cobra”, e pela apocalíptica “My Generation” (Otto desce a lenha na bateria), abria a cortina para que os primeiros acordes em dó maior de “Faith” introduzissem um canto em uníssono. Senti falta de mais músicas do primeiro álbum, como “Stuck”, “Pollution”, “Counterfeit” ou “Sour”. Qualquer uma podia ter entrado no lugar de “Behind Blue Eyes”.

Mas a verdade é que os caras não dão tempo pra você pensar em qual está faltando, e saem mandando uma em cima da outra. Nas trocas de instrumentos o DJ emenda conhecidos refrões de rap, que não deixa ninguém sonhar em ficar parado.

O som estava ótimo e a banda interagiu muito bem com o público. Wes Borland é um personagem à parte, tanto pela competência nas cordas quanto pelo figurino. Durst continua com a mesma presença de palco e energia habituais, sem perder o estilo “fuck off” de viver a vida. Mas esse é justamente outro dos sedutores ingredientes do nu metal: pular e cantar alto, erguer o dedo do meio e lembrar a alguns que o dia segunte ainda é feriado. Fuck off.

 

Confira o set list:

Boiler

9 Teen 90 Nine

Hot Dog

Rollin’ 

The Truth

Bring It Back

Thieves (Ministry) 

Gold Cobra

My Generation

Livin’ It Up

Faith (George Michael) 

Eat You Alive

My Way

Nookie

Full Nelson

Behind Blue Eyes (The Who cover)

Break Stuff

Take a Look Around

Stayin’ Alive (Bee Gees)

 

A fotos foram tiradas pelo Nicholas. Não perde tempo e acessa o site do Loos Photo pra conferir todas elas.

Gravei um vlog no show que sai em breve no Bode Ninja. Se inscreve lá e fica esperto.

Foto da banda La Raza: Renan Facciolo/Reduto do Rock


Deixe seu comentário


Rock de Verdade - Todos os direitos reservados
-->