Plebe Rude faz show em São Paulo com canções inéditas, compostas entre 1981 e 1983

A banda Plebe Rude uma das primeiras bandas punks do país, surgida nos anos finais da ditadura militar e consagrada por participar da construção histórica deste período em nível cultural, político e social – anuncia um show especial em São Paulo, dia 17 de novembro, no Espaço Som, de repertório formado por canções de seus primórdios, compostas entre os anos 1981 e 1983, e, dentre elas, muitas inéditas. A banda percebeu que, ao revistar essas canções, são atuais apesar do passar dos anos. A apresentação será filmada para a preparação de um material que será lançado em breve.

Influenciados pelo movimento punk e póst-punk dos Estados Unidos e Europa (bandas como Stiff Little Fingers, Vibrators, Scars, Comsat Angels, Ruts, entre outros), André Mueller e Philippe Seabra, de Brasília, formaram a banda em 1981 junto com Jander Bilaphra e Gutje Woortman.

Eu e o Philippe éramos vizinhos, e passávamos praticamente todas as tardes ouvindo singles punk. No primeiro encontro, que foi na biblioteca da casa de Philippe, saiu ‘Nada e Pressão Social’. Vieram várias outras músicas e, assim, fomos aperfeiçoando a técnica de compor, até chamarmos a atenção de Hebert Vianna e gravarmos ‘O Concreto Já Rachou‘”, diz André.

A Plebe Rude é vista como a banda que mudou a cena da música em Brasília naquele período, quando tocavam nas calçadas da cidade, nas festas do Departamento de Arquitetura na UnB, no Circo Voador (RJ), e na última noite do Napalm, em São Paulo. O show promete a mesma energia dessas apresentações.

Esse registro é mais que um resgate. É a comemoração de um tempo onde a música conectava as pessoas. Onde o faça-você-mesmo dependia de amigos, suor e lágrimas. Onde o mundo era muito maior do que parece hoje e tínhamos que nos unir para não sermos engolidos pelo sistema. São músicas rústicas, inocentes e simples, mas feitas numa época que o que importava era estar no palco cantando para gente igual a você, sobre problemas em comum: falta de perspectiva, tédio, desinformação, censura, controle e adolescência“, finaliza André.

Plebe Rude Estúdio Espaço Som

17 de novembro, sexta-feira, às 20h.

Endereço: Rua Teodoro Sampaio, 512 – Pinheiros – São Paulo.

Capacidade: 100 pessoas.

Ingresso: entrada solidária (levando 1kg de alimento não-perecível no dia do show) – R$50, 1º lote – R$100, 2º lote – R$135

Vendas: https://www.sympla.com.br/gravacao-plebe-rude-primordios-no-espaco-som__207724

Classificação: 18 anos.

Deixar comentário(s)

comentários

Zeca

Procura no google