O Cenário Contemporâneo Do Movimento

 

Sabemos que o Rock Nacional tem tido uma grande evolução de uns tempos para cá.

 
Bandas que outrora estagnavam-se na condição de “covear” suas bandas favoritas, hoje vão para o estúdio, criam letras e melodias, fazem nascer uma nova geração sem medo.

 
Percebeu-se que é preciso pensar menos na forma “gringa” de se fazer música, e investir no nosso português, isso devido a fatores culturais mesmo. Veja só: Uma banda que cria uma música e escreve uma letra em inglês, estará disputando o espaço face to face com bandas já consagradas, tanto no meio Nacional (como por exemplo, o lendário Sepultura) como também internacional (Pegando levinho, vamos de Slipknot).

 
O cenário cresceu e evoluiu. Andou com as próprias pernas, e vemos isso a todo o momento, por todos os lados.

 
Nossas bandas brasileiras, cantando em Português já vêm conquistando seu espaço dentro e fora do país, e não tem como falar sobre esse assunto sem colocar na mesa, um exemplo do que deu certo, e neste contexto vou utilizar a banda Project 46 para ilustrar o enredo.

 
A banda paulista de metal/hard core Project 46 participou do festival Maquinária Fest no dia 10/11/2012 em Santiago no Chile. A banda representou nosso cenário abrindo o show que contou com grandes nomes do Rock pesado, dentre eles: Kiss, Slayer, Mastodon, Stone Sour, Marilyn Manson, Cavalera Conspiracy e outras!

 
Vamos levar em consideração que este foi o festival em que a banda teve um maior destaque, mas não foi só esse show que o Project veio nos representar não!

 
Os meninos passaram por várias casas de Show e levaram a multidão ao delírio! Rolou até programa de televisão!

 
Lembrando que o Project 46 surgiu de um cover, ou como eles chamam, Slipknot Tribute, nomeado de “Kroach”.

 
O projeto de uma banda com composições próprias e a gravação do disco deu certo, e hoje o P46 é sucesso no cenário Underground nacional, tocando com bandas importantes e também consagradas como Glória e Matanza.

 
O Project 46 é um exemplo de que o Rock Nacional pode sim dar certo, e que fazer música em Português é um diferencial que atrai públicos e multidões.

 
É preciso exterminar o paradigma de que Rock bom é Rock Gringo. Precisamos explorar o nosso cenário, fazer com que a discrepância chegue ao seu liminar, assim estaremos fortalecidos e prontos para mostrar a potência que o nosso Rock possui.

 
Vamos explorar o que a música tem de melhor, o Rock gringo é bom, todos temos as nossas influências, nossos ídolos. Isso é fato. A música, a filosofia e o estilo de vida devem ser explorados em português, inglês, espanhol, mandarim. O importante é a informação, o conhecimento, a sabedoria e o que cada um tem de melhor a nos oferecer, mas temos que fincar nossas raízes no nosso solo sagrado para nos tornarmos referência também! Chegou a hora de pararmos de idolatrar o de fora e sermos idolatrados também.

 
Nossa cena é muito forte, vamos libertar nossas correntes!

 

Deixar comentário(s)

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *