Resenhas Shows 

Stratovarius levantando a alma dos metaleiros em São Paulo


Um dos maiores nomes do metal melódico mundial, agraciou a noite de 12 de fevereiro, no Carioca Club em São Paulo, com a produção da Free Pass Entretenimento. Em única apresentação no país dessa vez, agitou e remexeu a galera, repetindo o set list do show feito no Japão.

Um show recheado de clássicos, e apresentando algumas belas canções do novo filho “Eternal” (2015).

Confira a cobertura do Rock de verdade:

O show estava marcado para ter inicio as 20:00, a casa abriu e a galera começou a entrar. Não teve formação de fila por fora, até achei que não iria encher o Carioca. Mas estava enganada, aos 5 minutos antes do espetáculo ter início, o Carioca estava cheio.

Pontualmente, os avisos da casa começaram a rolar no palco.  Música de abertura e, o baterista atual Rolf Pilve entra,  já fazendo uso de sua artilharia,  pede as palmas da galera, abrindo com “My Etarnal Dream”, faixa do novo álbum. Logo após vem os outros integrantes. A galera presente  estava com bandeiras, faixas, muito carinho para a banda. Lotaram os camarotes, um público extremamente ansiosos, que com certeza foi ao delírio nessa apresentação. Seguem com o clássico emplacado com o álbum Elements Part I (2002) “Eagleheart“. Kotipelto pega o microfone e manda um “Obrigado São Paulo”, seguindo com a clássica “Phoenix”, que gera um coro de vozes, palmas e aplausos no final.

“Lost Without a Trace” vem em seguida, onde Sr. Kotipelto, esse mestre dos vocais, mostrou uma linda apresentação, a canção ficou linda ao vivo. Eu só achei que a parte mais empolgante da música, o lance com a guitarra, logo após o refrão, ficou a desejar. Mas logo veio a dupla consagrada da banda, o duelo entre a guitarra  de Matias e o teclado de Jens, fazendo belos solos perfeitamente colocados.

“SOS” levantou a alma metaleira da galera, todos em uníssono cantaram com Timo. Ele anuncia que deixará o palco nas mãos do aclamado Sr. Porra, que estava sendo requisitado por todos desde antes do show começar (afinal de contas, gritar Porra é divertido), fez seu famigerado solo de baixo, brincando com o público brasileiro, lançando uma bossa nova no baixo e pedindo o agito da galera. Fera!

E eles voltam com os clássicos “Paradise” e “Against the win”, seguida da nova “The Lost Saga”, som que se inicia com um coro de uuuuu, e uma das mais pesadas que eu já vi o Stratovarius fazer, nos riffs de guitarra principalmente, a mais cumprida do álbum Eternal, cheia de nuances e viradas. Ficou perfeita. E chega a vez do mestre Jens agraciar os fãs com seu solo de teclado, arrancando palmas e agitação da galera.

A dobradinha “Black Diamond” e “Unbreakable” finaliza a primeira parte do espetáculo. Na primeira, o coro de fãs foi emocionante, todos cantando com suas almas nas palmas.

Após um breve pausa, esses finlandeses, donos de um carinho especial de seus fãs, retorna ao palco para executar a balada “Forever”, que mexeu com os corações de seus ouvintes, foram muito aplaudidos no final. “Speed of light”, momento nostálgico do show, som do quinto álbum do Strato – Episode (1996), com certeza especial pra muitos que ali estavam. Todos cantando juntos, Kotipelto se mostrou muito agradecido, e anunciou que só faltavam mais dois sons para acabar o show

“Shine in the dark”, mais uma do novo álbum, dono de um poderoso riff de guitarra também, e aquele refrão pegajoso. Eu escolheria “Man in the Mirror” para esse momento, mas.

Timo diz que São Paulo é a melhor audiência do mundo e segue com o grand finale, a queridinha “Hunting High an Low”,  muita energia do público, todas as bocas se mexiam, cantando com a alma junto com a banda. Kotipelto interrompe a música para fazer uma brincadeira com o povo dizendo: “Acabamos de fazer um show no Japão, São Paulo, vocês acham que conseguem ser mais barulhentos que os japoneses?” e pede para repetirem a frase “Hunting High an Low”, todos correspondem. Mas quando ele faz a mesma graça falando que irá para Argentina, arranca urros de seu público paulistano. E… finalizam esse som.

Em todo show, Timo como porta voz, agradece sempre a galera, pede a participação de todos com palmas, diz palavras em português, com certeza muita simpatia com seu público, não só paulistano, e sim brasileiro também. Lá pelas tantas, Porra entra no palco com uma bandeira do Brasil, e a deixa estendida no palco. Essa galera mostra muito respeito  por todos ali presentes.

Belo show, um set equilibrado, respeito com o público, organização fantástica. Parabéns á todos!

Set List:

  1. My Eternal Dream
  2. Eagleheart
  3. Phoenix
  4. Lost Without a Trace
  5. SOS
  6. Bass Solo
  7. Paradise
  8. Against the Wind
  9. The Lost Saga
  10. Keyboard Solo
  11. Black Diamond
  12. Unbreakable

Encore:

  1. Forever
  2. Speed of Light
  3. Shine in the Dark
  4. Hunting High and Low

Line up:

Timo Kotipelto – vocal

Jens Johansson – teclado

Matias Kupiainen – guitarra

Lauri Porra – baixo

Rolf Pilve – bateria

Veja aqui o álbum completo : site do Fotógrafo e álbum no facebook.

Fotos feitas por: Nicollas Eichstaedt Loos.

 

Written by 

Matérias Relacionadas