“Transeunte” é o primeiro disco de estúdio do power trio carioca Astro Venga

Precursor da música de rua no Rio de Janeiro contemporâneo, o Astro Venga agora mostra a intensidade criativa e sonora em “Transeunte“, o primeiro registro de estúdio, com nove músicas instrumentais que sintetizam o caldeirão musical – sempre em efervescência – deste power trio. O álbum é disponibilizado nesta segunda-feira nos principais serviços de streaming pela Abraxas Records e, no dia 9 de novembro, uma quinta-feira, em formato físico (CD) no show de lançamento na tradicional casa carioca Imperator, dentro de um dos principais eventos roqueiros da capital, o Rio Novo Rock.

Gravado no estúdio Radamés Gnattali, da Faculdade Unirio (RJ), “Transeunte” é o prolongamento natural do já reconhecidíssimo trabalho de Christian Dias (guitarra), Antonio Paoli (baixo) e Gabriel Barbosa (bateria) nos calçadões das praias cariocas e em demais centros urbanos, onde se apresentam ao ar livre, incorporados aos ruídos do trânsito, dos burburinhos e das vibrações da natureza. No álbum, a essência está intacta.

A música instrumental do Astro Venga tem swing, melodias, peso, batidas dançantes e até introspectivas, norteadas em termos sonoros pela positividade das levadas rock n’ roll, vide faixas como “Zinabre” ou “Sub Monte”. Música brasileira também tem espaço: “Olho Mágico” mostra o lado rítmico e harmônico da viola e o bandolim dentro da proposta experimental.

Não à toa, punk progressivo, funk garagem ou rock extremo são rótulos criados pela própria banda para tentar explicar a plasticidade de “Transeunte“, que foi moldada nos dois registros anteriores gravados ao vivo durante apresentações nas ruas, “Explodiram a Perimetral” (2014) e “Ao vivo na Lapa” (2016).

Ouça:

Deixar comentário(s)

comentários

Zeca

Procura no google