Resenhas Shows 

Velhas Virgens botam pra foder em Santos

Noite maravilhosa na ultima sexta-feira (28), perfeito pra ficar louco e beber muito, muitos foram com esse propósito, claro, show dos Velhas Virgens, a Tribal Club ficou pequeno. Mas para aquecer toda a bebedeira, outras bandas roubaram a cena, executando ótimo shows. As bandas Padres, Nervos e Velho Jango, literalmente provocaram o caos antes do Velhas entrar, ai sim, para “causar o caos”.

Padres foi a primeira banda, executaram bem as músicas, e agitaram legal o povo que foi chegando. A banda tem músicas com temas engraçados, e o próprio nome da banda satiriza o que realmente as letras dizem. Foi um bom show!

A banda Nervos, subiu no palco mostrando o que é tocar um rock com profissionalismo. Músicas covers bem executadas, alem das próprias, gostei muito.

A banda caiçara, Velho Jango fez um grande show com suas músicas irreverentes, eles usam o humor assim como a Velhas Virgens, e sabem tocar em assuntos delicados, e fazer suas criticas como na música “Teta da Politica”, que fala sobre o circo que se instalou no país principalmente nesse ano de Copa do Mundo.

Apresentando ainda o “Rock Ostentação”, uma clara paródia do funk ostentação, um “estilo musical” que vem fazendo muito sucesso no Brasil, principalmente na Baixada Santista, mas é claro que o “Rock Ostentação” da Velho Jango é muito mais inteligente que qualquer funk.

Abrindo o show do Velhas, rolou uma deliciosa e performática apresentação de Poly Dance! A muito gostosa Verena, fez o que quis naquela barra.

A banda tão aguardada pelos bêbados de plantão, a Velhas Virgens, ainda reservava algumas surpresas para o público naquela noite. Novos personagens, novas músicas do novo CD “Todos os dias a cerveja salva a minha vida”. CD esse que contou com um financiamento coletivo, que incluiu até a disputada calcinha usada da vocalista, Juliana Kosso.

Muitos fãs que estavam nesse show em Santos ajudaram no financiamento e estavam ansiosos para ouvir as novas músicas ao vivo… e elas vieram! Aos poucos, músicas como “O que seria do rock”“Pau no meu cu”, “Kid Marreta” e “Matadora de aluguel” foram tocadas, as duas ultimas inclusive contaram com apresentação dos novos personagens de Paulão e Juju Kosso, um boxeador que entra no ringue ao som de “Eye of the Tiger”, e uma mexicana muito sexy que jorra tequila na boca dos fãs com sua arma.

A Velhas Virgens se apresentou em ótimo nível com seu blues descarado, suas letras muito mais descaradas ainda e uma performance extremamente sexy de sua vocalista. Juliana Kosso funcionou para os homens santistas, como Axl Rose funcionava  para as garotas nos anos 80. Uma ruiva performática e matadora ao entoar sozinha a música “Buceta” o que causou estranheza no público, já que é uma música bem masculina e Paulão sempre a cantou muito bem.

Os clássicos não poderiam ficar de fora, e todos cantaram palavra por palavra de “Muito bem comida”“Rafaela, Eu amo a sua mãe”, “Abre essas pernas”, “Tudo que a gente faz é pra ver se come alguém”.

Noite foda! Com certeza vai ficar nas lembranças de todos, obrigado a Tribal Club por sempre nos dar a oportunidade de estar nesse rolê.

Written by 

Editor chefe do site Rock de Verdade.

Matérias Relacionadas