Resenhas Shows 

Foo Fighters detonando as emoções do público paulista

Sai de minha cidadezinha para conferir o Raimundos, Kaiser Chiefs e o Foo Fighters. Infelizmente, não consegui chegar a tempo da primeira banda e percebi que, provavelmente, metade do público que esteve presente no evento, não estava preocupado com isso. Eu andando com pressa e o povo lá fora sorrindo, bebendo sua cervejinha, logo pensei: “o Raimundos está nesse momento no palco, fazendo um show histórico, e os ‘roqueiros’ aqui fora” – é assim que o rock nacional está indo pra frente.

O Raimundos “provocando o caos”; Quem estava presente, viu um show espetacular! A festa começou com “pegadinha do malandro”.

A pegadinha foi  introdução marcante do Rage Against The Machine e trocou rapidamente para “Eu quero ver o oco”. Pelo vídeo, podemos perceber claramente a empolgação do público presente. O tempo foi bem curto, mas deu para tocar vários clássicos da banda.

Kaiser Chiefs foi a segunda banda a subir no palco, e impressionou mais uma vez. Eu já tinha visto a banda tocar no Lollapalooza, onde a energia do vocalista Ricky Wilson foi o seu grande diferencial. Na segunda vez não foi diferente, repetiram a dose mesmo tomando muita chuva junto ao público que começava a lotar por completo o Morumbi.

Mesmo as pessoas já pedindo a entrada do Foo Fighters, o Kaiser Chiefs fez sua parte tocando seus clássicos, e fazendo muita gente pular.

A chuva foi parando e todos ansiosos. Foo Fighters estava pronto pra entrar, e quem apareceu em primeiro: Dave Grohl, acompanhado por Nate Mendel (baixo), Taylor Hawkins (bateria), Chris Shiflett (guitarra) e Pat Smear (guitarra). Dave se posiciona e começa a apresentação com “Something From Nothing”, onde levou um escorregão e se levantou, rapidamente, acenando pra dizer que estava tudo bem. Logo em seguida “The Pretender”, com um belo flash-mob organizado pelo fã clube, muito pedacinhos de papel pelo céu, foi lindo.

Learn to Fly” foi a música que me faz perceber que tudo o que eu estava vendo era real. Acordei. Saí da minha paralisia emocional e comei a pular, mesmo sem saber ou esperar que a próxima seria “Breakout” – momento que fiquei lunático, pirado ou sei lá – percebi que não era só eu que estava louco ali. Logo em seguida tocaram “Arlandria”, lembrei o quanto escutava o álbum “Wasting Light”, que na minha opinião, é o melhor álbum deles e fiquei feliz por presenciar essa música ao vivo.

Todas as músicas tiveram um momento especial, de modo que não acabavam nunca. Alongaram bastante, o que até foi algo negativo do show, pois poderia ter tido mais músicas, porém não há como reclamar de uma coisa dessa, foi tudo muito bom e perfeito.

Monkey Wrench” fez todo mundo pular, mas foi na música “Skin and Bones” que todos se acalmaram, só ficou o Dave no palco, acompanhado de um sanfoneiro, foi muito bonito e emocionante. Um fã da banda subiu ao palco para pedir sua namorada em casamento, momento único, Dave brincou bastante com a situação, ele até disse “Quer pedir sua namorada em casamento? Venha a um show do Foo Fighters!”

A surpresa foi um palco que girava em 360 graus surgir no meio da passarela, foi muito irado, teve “Times Like These” (Half with Dave, half with full band), “Detroit Rock City” (Kiss cover), “Stay With Me” (The Faces cover), “Tie Your Mother Down” (Queen cover, Dave na bateria e Taylor assumindo o vocal), “Under Pressure” (Queen & David Bowie cover, Taylor e Dave no vocals). Dave foi pra bateria, Taylor cantou, e o palco girando, momento muito diferente, ponto alto do show na minha opinião.

A banda volta pro palco principal com “All My Life”, isso fez tudo mundo ficar pirado, tirou todo mundo do chão, e para tranquilizar, “These Days” foi executada, que no caso me fez ficar emocionado. Eu já sentia que já estava perto do fim, ai tocou a música “Outside”, música nova, do novo álbum “Sonic Highways”.

Best of You” era uma das músicas mais esperadas pelos fãs, considerado um dos maiores clássicos da banda, o público ficou cantando “OH OH OH”, praticamente em todos os momentos possíveis. Após o refrão, quando a música acabou, o Dave começava a falar, e era interrompido pelo “OH OH OH”, forma muito expressiva para mostrar o carinho enorme que temos por essa música e pela própria banda. Foi um momento muito engraçado, os músicos dando risada da situação, Dave até puxou a música novamente, e parou, falando que a música já acabou e tinha que tocar a próxima.

A música que encerrava a noite foi a “Everlong”. Antes de tocar, Dave agradeceu o público presente, e prometeu voltar mais vezes e logo em seguida se inicia a canção. Todo mundo emocionado… E assim foi se encerrando um maravilhoso show do Foo Fighters.

Como todo evento, sempre se caracteriza um seguinte problema, o transporte público… Pra quê ter Metrô em São Paulo, se não funciona depois de meia noite? Creio que deveria ter um acordo do Metrô com o evento, aumentar o horário, pelo menos pra todos se locomoverem melhor para suas casas. Muita gente veio de longe pra ver o show, e ficou a madrugada na rua.

55 mil pessoas, foi uma festa incrível, com certeza todos saíram felizes e o Foo Fighters provou mais uma vez que são rock de verdade!

O site Rock de Verdade agradece pela oportunidade de estar presente cobrindo o evento, foi muito foda!

Fotos: MRossi e Rafael Koch Rossi (Divulgação T4F)
Revisão: Felipe Hänsell
Autor: Will Batera

Written by 

Editor chefe do site Rock de Verdade.

Matérias Relacionadas